Fechamento do Vagão! A todos feliz todo dia

Assim terminamos nossas atividades no ano de 2011

Com 2770 visualizações

85 comentários

38 relatos de experiencia vivida e praticada!

Não tiraremos o conteudo aqui postado do ar, pelo contrario, assumimos que as praticas relatadas são boas, se não na função, são boas para a troca de experiencia, não como uma referencia, não pretendemos tanto

somente como fonte de consulta.

Desejamos a todos que 2012 seja um ano de muita luta, muitas conquistas e muita força.

“Tô pra vê um daqui sucumbi, você pode até sorrir, mas no final vai chorar,

mexeu com nois é sem sorte”

Abraços

Equipe Casa dos Meninos

Anúncios
Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Fim da linha! Conexão para…

Atenção passageiros da Casa dos Meninos, dentro de instantes estarmos chegando ao destino final da nossa jornada. Recomenda-se que durante a leitura desse ultimo relato de viagem seja feita com o acompanhamento da trilha sonora que o maquinista colocará, trilha essa composta de sentimentos aflorados, da maneira em que o maquinista se encontra nesse exato instante que escreve esse ultimo relato de nossa viagem. as musicas demoram mais do que a leitura desse breve relato sentimental, ouça-as, enquanto ouvi-las, tente parar de ler um pouco e imaginar a viagem de 10 meses desse nosso trem.

Peço cordialmente que se preparem para o desembarque e para a conexão a ser feita. A viagem não acaba aqui! Aqui acaba o trabalho do maquinista.

o maquinista cansado

Maquinista que está cansado, está esgotado, que anseia pelo fim do ano, que sente que fez o que de melhor podia ter feito, sente que conduziu o trem e todos os passageiros pelos caminhos do PJU. Não sei e nem tenho como proposito saber se o caminho percorrido nessa viagem foi o melhor possivel, sinto que faltou passar por algumas estações, passar algum tempo maior em outras, mas a viagem é feita de escolhas, certas ou não, as seguimos e cumprimos todo o roteiro dessa nossa louca, turbulenta e divertida viagem.

Você passageiro, que não estava direto no nosso trem, mas nos acompanhou durante todo esse percurso, muito obrigado por sua presença em nossa viagem, ela muito gratifica o maquinista e os passageiros desse trem.

Bem vindos ao trem!

Na terça feira 29 de novembro, depois de comemorar os nascimentos dos passageiros, voltamos ao nosso trem com o foco no plano de viagem para a próxima etapa: os projetos. Esse foco não estava nos projetos em si, mas sim em como eles seriam apresentados para a Central de Operações, e se a C.O aprovaria esse novo percurso da viagem. Assim os passageiros corrigiram termos dessa apresentação e ensaiaram um pouco, sozinhos que se diga de passagem.

Na quarta feira dia 30 de novembro o trem seguiu o mesmo ritmo, porém os passageiros ao

planejamento dos proximos passos

invés de ensaiar somente entre eles fizeram diferente. Compartilharam entre eles as apresentações dos planos de viagem, abertos as sugestões e cheios de insegurança.

Fernado péra aí! Mas não é um trem só? Então como estão sendo feitos planos de viagem? Não deveria ser somente um plano para o trem todo?

Perfeito seu questionamento caro passageir@ ilustre e lind@ que acompanha nossa viagem, mas esclareço pra você que nessa outra parte da nossa longa viagem, os passageir@s serão @s responsaveis por suas viagens, serão duas, cada qual com seu roteiro, “Arvores pra vida” e “As expressões das Identidades”.

Na quinta feira dia 01 de dezembro os passageiros apresentaram seus planos de viagem para os que comandam o trem da casa dos meninos, Luzia, Chispita, Solange e Suzana, os passageiros nervosos apresentaram e ouviram considerações riquissimas das mesmas, que lhes dariam mais segurança para a apresentação do plano de viagem a Central de Operações.

Assim terminamos mais uma semana de viagem

Sem medo, começamos a ultima semana de atividades reais com os passageiros.

Na terça feira dia 06 de dezembro os passageiros revisaram os planos de viagem, pensando nas considerações feitas pela na pré banca do dia 01 e foram para suas casas pensando em tudo o que eles podiam ser, com medo, mas um medo compreensivel.

Na quarta feira dia 07 de Dezembro a Central de Operações adentrou ao trem da Casa dos Meninos, sim as bancas que avaliariam os planos de viagem de todos os jovens do Lajeado aconteceram no nosso trem, que bom! que todos conheceram onde nossas viagens aconteceram na maioria do tempo.

3 Bancas, dezenas de projetos, e uma certeza: A viagem dos passageiros da Casa dos Meninos da turma da manhã continuará. Porém agora não mais como passageiros, mas sim como condutores de suas viagens, com uma nova Central de Operações, comandada agora também pelo maquinista. Com a certeza de que nada será como antes.

Assim na quinta feira dia 08 com o peso do mundo longe de nossas costas, maquinista e passageiros, fomos rever a cidade de São Paulo de um outro angulo, não do centro, do norte, da pedra grande todo mundo junto, manhã e tarde e também com os amigos do CCCF, uma trilha longe do concreto, em meio ao verde, com uma vista estonteante  ao fim.

A cidade de outro angulo

Revendo toda a cidade voltamos ao começo, as diferenças deviam caber no mesmo pote, São Paulo é uma cidade gigantesca, nada acolhedora, que divide, como qualquer cidade do sistema capitalista, mas que ainda é possivel resistir, sempre é possivel resistir, existir, sempre é possivel viajar, sempre.

Se toda viagem será estruturada, com planos e metas como foi a nossa, não se sabe, mas nossa vida deve ser uma constante viagem, com sonhos, com felicidades, com tristezas, com encontros, com despedidas, com renovações e com inovações.

Sim passageiros, corremos, muito e continuaremos correndo sempre, agora fora do trem, porque a viagem de quem mora na quebrada não acaba nunca, fazer com que mais gente corra com a gente é o que liga.

Agradeço com lagrimas nos olhos todos os momentos que passamos juntos, passageiros presentes e virtuais, desejo a todos uma vida de muita luta, muito sonho e muita viagem!

“Qualquer dia a gente se vê” nesse “trem doido” da vida! Ache seu trem, não sinta pavor, siga a viagem da vida.

Novos Dias
(Sérgio Vaz)

“Este ano vai ser pior…
Pior para quem estiver no nosso caminho.”

Então que venham os dias.
Um sorriso no rosto e os punhos cerrados que a luta não para.
Um brilho nos olhos que é para rastrear os inimigos (mesmo com medo, enfrente-os!).
É necessário o coração em chamas para manter os sonhos aquecidos. Acenda fogueiras.
Não aceite nada de graça, nada. Até o beijo só é bom quando conquistado.
Escreva poemas, mas se te insultarem, recite palavrões.
Cuidado, o acaso é traiçoeiro e o tempo é cruel, tome as rédeas do teu próprio destino.
Outra coisa, pior que a arrogância é a falsa humildade.
As pessoas boazinhas também são perigosas, sugam energia e não dão nada em troca.
Fique esperto, amar o próximo não é abandonar a si mesmo.
Para alcançar utopias é preciso enfrentar a realidade.
Quer saber quem são os outros? Pergunte quem é você.
Se não ama a tua causa, não alimente o ódio.
Por favor, gentileza gera gentileza. Obrigado!
Os Erros são teus, assuma-os. Os Acertos Também, divida-os.
Ser forte não é apanhar todo dia, nem bater de vez em quando, é perdoar e pedir perdão, sempre.
Tenho más notícias: quando o bicho pegar, você vai estar sozinho. Não cultive multidões.
Qual a tua verdade ? Qual a tua mentira? Teu travesseiro vai te dizer. Prepare-se!
Se quiser realmente saber se está bonito ou bonita, pergunte aos teus inimigos, nesta hora eles serão honestos.
Quando estiver fazendo planos, não esqueça de avisar aos teus pés, são eles que caminham.
Se vai pular sete ondinhas, recomendo que mergulhe de cabeça.
Muito amor, muito amor, mas raiva é fundamental.
Quando não tiver palavras belas, improvise. Diga a verdade.
As Manhãs de sol são lindas, mas é preciso trabalhar também nos dias de chuva.
Abra os braços. Segure na mão de quem está na frente e puxe a mão de quem estiver atrás.
Não confunda briga com luta. Briga tem hora para acabar, a luta é para uma vida inteira.
O Ano novo tem cara de gente boa, mas não acredite nele. Acredite em você.
Feliz todo dia!

Abraços Cordiais.

Fernando Cruz

Publicado em manhã | 7 Comentários

Agora o fim está perto

Hoje no Programa Jovens Urbanos é do dia da banca de orientação dos projetos escritos pelos jovens.

O fim de dez meses de formação está próximo

Se valeu a pena, se foi bom?

My Way

Frank Sinatra

Meu Jeito

E agora o fim está próximo

Então eu encaro o desafio final

Meu amigo, Eu vou falar claro

Eu irei expor meu caso do qual tenho certeza

Eu vivi uma vida que foi cheia

Eu viajei por cada e todas as rodovias

E mais, muito mais que isso

Eu fiz do meu jeito

Arrependimetos, eu tive alguns

Mas então, de novo, tão poucos para mencionar

Eu fiz, o que eu tinha que fazer

E eu vi tudo, sem exceção

Eu planejei cada caminho do mapa

Cada passo, cuidadosamente, no correr do atalho

Oh, mais, muito mais que isso

Eu fiz do meu jeito

Sim, teve horas, que eu tinha certeza

Quando eu mordi mais que eu podia mastigar

Mas, entretanto, quando havia dúvidas

Eu engolia e cuspia fora

Eu encarei tudo e continuei de pé

E fiz do meu jeito

Eu amei, eu ri e chorei

Tive minhas falhas, minha parte de derrotas

E agora como as lágrimas descem

Eu acho tudo tão divertido

Em pensar que eu fiz tudo

E talvez eu diga, não de uma maneira tímida

Oh não, não, não eu

Eu fiz do meu jeito

E pra que serve um homem, o que ele tem ?

Se não ele mesmo, então ele não tem nada

Para dizer as coisas que ele sente de verdade

E não as palavras de alguém que se ajoelha

Os registros mostram, eu recebi as pancadas

E fiz do meu jeito

And now the end is near
And so I face the final curtain
My friend, I’ll say it clear
I’ll state my case of which I’m certain
I’ve lived a life that’s full
I traveled each and every highway
And more, much more than this
I did it my way
Regrets, I’ve had a few
But then again, too few to mention
I did what I had to do
And saw it through without exemption
I’ve planned each charted course
Each careful step along the byway
And more, much more than this
I did it my way
Yes there were times, I’m sure you knew
When I bit off more than I could chew
But through it all when there was doubt
I ate it up and spit it out
I faced it all and I stood tall
And did it my way
I’ve loved, I’ve laughed and cried
I’ve had my fill, my share of losing
And now as tears subside
I find it all so amusing
To think I did all that
And may I say, not in a shy way
Oh no, oh no, not me
I did it my way
For what is a man, what has he got?
If not himself, than he has naugth
To say the things he truly feels
And not the words of one who kneels
The record shows, I took the blows
And did it my way

Jovens Urbanos 6ª edição

 

 

 

 

 

 

 

Sempre vale a pena!

Fernando Cruz

Publicado em manhã | Deixe um comentário

Refresco…

Corre, corre, corre, para!

Corre, corre, corre, para!

Corre, corre, corre, para!

Corre, corre, corre, para!

Corre, corre, corre, para!

Quem é atleta e gosta de correr sabe que no começo o folego falta, então a gente para um pouquinho, diminui o ritmo, mas continua andando!

Estamos assim no nosso trem, o que já ta no piloto automatico, acelera e para, acelera e para.

Acha que eu to maluco? Se liga só então.

No dia 15 foi dia da proclamação da republica, golpe militar – que foi esquecido pela história – para derrubar o regime imperial. Feriado claro! Para!

No dia 16 de novembro, alonga os musculos e vota a andar, fizemos as correções a partir dos apontamentos apresentados pela C.O (pra quem não lembra olha o ultimo post da turma da manhã) e demos a noticia de que as bancas seriam no dia 29/11. E depois da caminhada voltamos a correr com o trem, pensando na apresentação para as bancas, no material que será apresentado pelos jovens, qual é esse material? Aguardem a pressa é inimiga de muitas coisas, inclusive da surpresa.

Projeto As expressões das Identidades

No dia 17 de novembro dividimos os horarios da viagem, fizemos um revezamento 2×4 (dois grupos em quatro horas, duas horas para cada grupo trabalhar): a primeira turma a embarcar no trem veio as 08hr da manhã, assumindo o controle da máquina (PC) fizeram sua apresentação para a banca, a segunda pegou o bastão na pista, manteve o ritmo e também fez sua apresentação.

Projeto "Arvores pra Vida"

Para! fim de semana o trem não anda!

Corre! Terça feira dia 22 de novembro voltamos ao trem correndo correndo para fazer o que?

Revisar os projetos! De novo? sim novamente, mas de uma maneira diferente.

Agora os grupos receberam os projetos do outro grupo, para falarem o que não entenderam.

As duvidas ficaram nas justificativas técnicas, principalmente nas palavras, ou melhor nos significados delas, tudo esclarecido pelos grupos.

Também fizemos uma avaliação sobre a semana fala jovem, que os jovens gostaram, mas acharam que poderia ter sido mais legal. Falaram que foi meio confuso tudo, que na Casa das Caldeiras era ruim de ouvir, que a coisa mais legal foi a apresentação do teatro e que a apresentadora caiu.

As oficinas a maioria achou bem legal, principalmente a oficina de fanzine, porque está ligada diretamente há um projeto e a exploração ao cenpec foi avaliada como boa, mas eles esperam um espaço maior.

Para!

Na quarta feira dia 23 de novembro a ordem foi relaxar!

Relaxar no meio da corrida? Tâ maluco?

Não estou maluco, estou aproveitando que chegou a informação que devido ao Saresp a banca no território do Lajeado será no dia 07 de dezembro, e que agora temos um tempo a mais para ajeitarmos as coisas pra brincar um pouco com eles:

Todo mundo escreve uma frase, vai ter que recitar essa frase com diferentes emoções, facil ne? não muito dificil. Mas no fim a gente acabou se divertindo.

e se organizando para a explofraternização dos aniversarios de agosto, setembro, outubro e novembro, onde?

explofraternização

Corre!

Na quinta a gente correu pro parque da juventude na zona norte de são paula, lugar que apagou da memoria fisica da cidade o palco de um dos maiores massacres cometidos pelo estado A Penitenciaria do Estado – vulgo Carandiru.

A explofraternização foi bem legal, o parque é legal também, mas não devia ter demolido uma memoria viva da cidade, enfim foram 17 passageiros do trem para conhecer mais um parque da cidade

A correria não para!

Abraços

Publicado em manhã | Marcado com , , , , , | Deixe um comentário

Período formativo 20/10 a 20/11 – turma da tarde

     Olá leitores! Não pensem que a escritora aqui não se importa com vocês… só que em determinados momentos da vida parece que tudo virá caos e fica difícil executar determinadas ações. Mas não tenham dúvidas que o grupo PJU 6ª edição- tarde segue como sempre no centro de nossas ações. Agora, sem mais delongas, vamos para o relato do período formativo do dia 20/10 a 20/11:

     No dia 20/10, os jovens foram ao Museu Afro para uma visita monitorada. Esta exploração significou retomada do tema identidade discutido meses atrás, reflexão sobre a história do negro e suas contribuições para a formação do povo brasileiro. Embora tenhamos feito uma pausa na escrita dos projetos, a ida do grupo a este espaço foi muito válida para reafirmar a importância do negro em nossa sociedade.

“Um sorriso negro, um abraço negro
Traz….felicidade
Negro sem emprego, fica sem sossego 
Negro é a raiz da liberdade 
…Negro é uma cor de respeito”

 Exploração: Museu Afro
Temática retomada: Identidade brasileira
Número de jovens: 22 jovens

     Na semana seguinte, do  dia 25/ 10 a 27/10, foram feitas breves considerações sobre a ida ao Museu Afro e, posteriormente, os jovens voltaram a se engajar na escrita dos projetos para compor os orçamentos e buscar parcerias, o que resultou em intensa circulação.

     O grupo de projeto Encenando a Vida, que tem como objetivo produzir e encenar uma peça teatral com a temática das drogas, dirigiu-se às lojas da Rua 25 de Março e às lojas do centro de Guaianases para compor o orçamento e foi também ao CEU Lajeado em busca de parceria, local que os receba para apresentação de sua peça teatral no mês de março.

     O grupo de projeto Diversidade Consciente, que tem por objetivo  produzir um videodocumentário sobre o bullying escolar, foi ao Armarinho Fernando em São Miguel e as lojas do bairro para compor o orçamento e também se dirigiu à escola estadual Luciene do Espírito Santo em busca de paceria, local que receba e que coloque a disposição de seus professores o videodocmentário que será produzido.

     E o grupo de projeto Gibi da juventude, que tem por objetivo produzir um gibi para o público juvenil, construiu o seu orçamento a partir de pesquisas de gráficas pela internet e loja do bairro.

Explorações: lojas  próximas à ong e do centro de Guaianases, lojas da Rua 25 de março, CEU Lajeado e Escola Estadual Luciene do Espírito Santo
Tema: projetos – construção do orçamento e parcerias
Números de jovens: 10 jovens 

     Já na semana do dia 01 ao dia 03/11, os  manos e minas da tarde concentraram suas ações em organizar os orçamentos, buscar por outras parcerias e finalizar os últimos ajustes dos projetos para serem encaminhados  ao CENPEC.

     O grupo Encenando a Vida foi à Fabricas de Cultura e à Casa de cultura, o grupo Diversidade Consciente  foi às escolas estaduais Professor Clóvis Renê Calabrez e Professor Justino Marcondes Rangel  e o grupo Gibi da Juventude às escolas estaduais Professor Justino Marcondes Rangel,  Araci Zebral Teixeira e Professor Clóvis Renê Calabrez. Todos levaram consigo cartas de apoio, elaboradas por eles, para serem assinadas por responsáveis pelos espaços firmando, assim, possíveis parcerias.

     Estas ações formativas, seguramente, auxiliaram os jovens a compreenderem a importância de planificar ações, pensando em todos os recursos que serão necessários e a importância de estabelecer diálogos com instituições do bairro, formando uma rede de apoio para os projetos pensados para a comunidade, visto que assim as ideias ganham mais força e possibilidades reais de se concretizarem.

Explorações: Escolas Estaduais Professor Justino Marcondes Rangel, Araci Zebral Teixeira, Professor Clóvis Renê Calabrez, Casa de Cultura de Guaianases e Fábricas de Cultura
Tema: projetos – parcerias
Número de jovens: 14 jovens

     Mais uma semana passou, projetos finalizados e já encaminhados, os jovens participaram da Semana Expressão Jovens Urbanos que rolou do dia 08/11 ao dia 11/11 com a seguinte programação:

      No dia 08/11, os jovens compareceram à Casa das Caldeiras para a abertura do evento que contou com a presença de representantes dos grupos Circuito Fora do Eixo, Laboratório de Fantasma e Banco Comunitário União Sampaio, pessoal que compartilhou as suas experiências de vida em projetos.

     No dia 09/11 , o grupo foi à Casa de Cultura, segundo evento da semana, para experimentar as oficinas ofericidas, todos eles curtiram muito participar da oficina de grafite.

     No dia 10/11, os meninos e meninas da Casa se dirigiram à biblioteca São Paulo, no Parque da Juventude, para a visita monitorada. O dia foi especial, pois o grupo se uniu à ong Prainha do Grajaú, participaram de um bate-papo intermedidado pelo educador do espaço que, posteriormente, apresentou o acervo da biblioteca e finalizou com uma oficina de incentivo à leitura que contou com violão, voz  e muita música… E não poderia esquecer de registrar que o nosso grupo foi acompanhado pela TV futura. Os jovens Hémerson, Lucas e Daniele Silva contaram para as câmeras suas vivências no PJU e gostaram muito da experiência.

     E, para finlaizar a semana de muita circulação, no dia 11/11, os  jovens foram à Fabrica de Cultura para participarem do Encontro Público que tinha como objetivo exibir as produtos das experimentações. Apesar da demora para o início do evento, o dia foi bacana e deu para visualizar, através dos produtos e das  falas, o quão talentosos são os nossos jovens urbanos.

Explorações: Casa das Caldeiras                                                  Exploração: Casa de Cultura de Guaianases
Tema : Expressão Jovens Urbanos                                              Tema : Expressão Jovem
Número de jovens: 20 jovens                                                          Número de jovens: 21 jovens
 
 
Exploração: Biblioteca São Paulo                                                  Exploração Fábricas de Cultura
Tema : Expressão Jovens Urbanos                                               Tema: Expressão Jovens Urbanos
Número de jovens: 16 jovens                                                            Número de jovens: 21 jovens

     No dia 16/11, de volta às atividades na ong, foi dia de conversar sobre a semana Expressão Jovens Urbanos. Após o balanço das atividades, a maior parte do grupo apontou a semana como produtiva. Seguimos com a preparação para a banca,  dialogando sobre o Power Point e suas ferramentas e quais os cuidados que eles devem tomar ao construir suas apresentações:

  • ter bom senso ao escolher o desing dos slides,
  • utilizar um tamanho de letra adequado,
  • ter cuidado com os excessos de imagens e excessos de textos, já que a visualização dos slides deve ser agradável para a banca e demais ouvintes e deve servir somente de apoio para a fala  do expositor.

Orientados, os grupos iniciaram  a montagem dos slides.

      No dia 17/11, Como ficou acordado,  dia de folga para compensar a sexta do Encontro Público. Renovação das energias para na próxima semana sintonizarmos novamente na estação projetos, programa banca e fazer muiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiito barulho.

Educadora: Alessandra

Publicado em tarde, Uncategorized | 1 Comentário

O começo da viagem é agora!

Oi povo lindo que passa por aqui de vez em quando e ganha tempo e felicidade na vida ao ler o singelo relato do maquinista que vos fala.

Todo ser humano é parecido biologicamente né, quando nasce engatinha, depois fica em pé, depois anda, depois corre, pula, da pirueta e os cambal. No PJU não é diferente, mas o que a gente percebe é que todo passageiro que entra nesse trem maluco, entra andando, alguns já ensaiam uma corrida, mas no geral entram andando pela porta da frente, mas que ao longo dos dez meses vamos ensaiando corridas.

Corremos sozinhos porque a vida nos cobra, porque ajudamos no lar, porque nos sustentamos, porque também queremos coisas boas para nós, porque temos que ir ao banco, temos que fazer mil coisas que somente nós podemos fazer por nós..

Corremos em duplas ou trios, porque o fardo dessa corrida que chama vida é pesado e dificil de carregar, então nos apoiamos e damos apoio aos amigos sinceros que são poucos em uma fase onde a pouca idade e a inconstância das decisões são muitas.

Corremos em grupo porque é mais divertido, é mais prazeroso, é mais conflituoso, é mais gratificante, é mais educativo, é mais sociável, é menos dificil e porque juntos nós somos melhores!

Corremos porque o tempo do capital nos obriga a correr, mas por mais que ele insista não precisamos correr sozinhos o tempo todo…

Mas Fernando, tem espaço pra correr dentro do trem?

Pra correr, correr não, mas pra ensaiar corridas tem. Porque não correr, a viagem não é linear, é possivel fazer varias corridas, os passageiros por diversas vezes correram sozinhos, mas sempre voltavam pro trem, pois precisavam entregar o ticket de viagem ao maquinista, mas ta chegando uma hora onde eles serão os maquinistas, e o ticket pra essa hora é especial e chama Projeto.

Pois bem nos reuninos no dia 01 de novembro para fazer o check in dessa nova etapa da viagem, a etapa da corrida definitiva, da saída do trem e da entrada na corrida do mundo.

Como assim? O que vocês fizeram?

check in PJU

Ora bolas, um check in, revisamos o Projeto, de acordo com que os jovens repensaram depois do processo de escrita e do projeto pronto, isso definido, o maquinista fez uma revisão final dos tickets acompanhado dos jovens: eram dois tickets, um para cada grupo, o ticket do grupo 1 chama: “As expressões das identidades”; O do grupo 2: “Arvores pra vida”. Tickets revisados, passageiros de acordo com a revisão enviariamos para a Central de Operações (CO) para a validação dos mesmos.

Dia 02 de novembro foi finados, feriado nacional.

Dia 03 entregamos o ticket na CO, agora é aguardar…

Na semana seguinte os jovens fizeram uma outra parada do trem, agora para participar da Semana Expressão Jovens Urbanos:

Na terça feira dia 08 um Seminário na casa das caldeiras, com todos os problemas que a

ExpressaoJovensUrbanos

reunião de mais de 500 jovens em um espaço unico pode ter, mas enfim com sua utilidade, nesse primeiro dia da semana, foram somente 13 jovens, a atividade foi no periodo da tarde, e como somos da manhã, muitos passageiros não puderam desembarcar nessa parada devido as correrias da vida, ou seja da tarde, como cursos e compromissos pessoais…

Na quarta feira dia 09 os jovens tiveram oficinas na Casa de Cultura de Guaianazes, onde tiveram contato com o Stencil – com o Alan Alvico; com a poesia – com o Vandei, Camila e Amanda; e de Fanzine – com o Celso. Essa atividade muito mais sentida pelos jovens, muito mais participativa foi de grande valia, nessa parada 22 jovens colaram pro role.

Na quinta feira dia 10 os passageiros da casa dos meninos foram até a C.O no caso o Cenpec e conheceram o espaço e a Central de Operações, nesse dia 19 passageiros fizeram essa parada na viagem, sendo que 3 haviam justificado ausência.

Na sexta feira dia 11 os jovens deveriam ter participado do encontro publico na Fabrica de Cultura para a apresentação dos produtos das experimentações que produziram um produto, entendeu? Não? Nem eu. Mas enfim foram dois jovens nessa parada, qual o motivo da pouca presença ainda há de se descobrir, porém alguns muitos passageiros haviam avisado que não poderiam pelo dia e pelo periodo proposto da atividade, assim como na terça o encontro foi feito na parte da tarde.

Painel na Fabrica de Cultura da Vila Curuça

Ahh esse encontro publico foi importante pra todos os passageiros do PJU em geral, pois nele eles tiveram mais um pouco da experiencia de correr com iguais.

Em tempo recebemos o retorno da C.O e nessa próxima semana mais curta por um feriado, faremos a correção pedida nos tickets dos grupos e aguardaremos a avaliação final, a temida banca, mas o maquinista já se sente seguro para acreditar que os passageiros do trem da Casa dos Meninos da turma da manhã estão quase prontos para tocar o trem e nessa hora será muito claro a diferença entre passageiros que entraram como meninos e meninas e sairão como homens e mulheres não prontos para corrida da vida, mas já correndo na mesma, e nos tickets a hora de “quem vai ficar e quem vai partir”.

É com grande prazer que o educador coloca a primeira musica mais pedida para colocar no blog, “é o trem das sete horas, é o ultimo do sertão”

 

Boa viagem aos passageiros e aos acompanhantes, nos vemos daqui a 15 dias, por enquanto o sentimento do maquinista é esse:

POEMAS DE SETE FACES

Quando nasci, um anjo torto
desses que vivem na sombra
disse: Vai, Carlos! ser gauche na vida.

As casas espiam os homens
que correm atrás de mulheres.
A tarde talvez fosse azul,
não houvesse tantos desejos.

O bonde passa cheio de pernas:
pernas brancas pretas amarelas.
Para que tanta perna, meu Deus, pergunta meu coração.
Porém meus olhos
não perguntam nada.

O homem atrás do bigode
é sério, simples e forte.
Quase não conversa.
Tem poucos, raros amigos
o homem atrás dos óculos e do bigode.

Meu Deus, por que me abandonaste
se sabias que eu não era Deus,
se sabias que eu era fraco.

Mundo mundo vasto mundo
se eu me chamasse Raimundo
seria uma rima, não seria uma solução.
Mundo mundo vasto mundo,
mais vasto é meu coração.

Eu não devia te dizer
mas essa lua
mas esse conhaque
botam a gente comovido como o diabo.

                                                             Carlos Drummond de Andrade

Fernando Cruz

 

 

 

Publicado em manhã | Marcado com , , , , , , , , , | 3 Comentários

Outubro Vermelho

Salveeeeeeeeeeeeee!!!!!!!!

Tudo certo por aí? por aqui tá tudo ótimo!

– Você sumiu, o que aconteceu?

Como tudo as coisas avançam, e assim como a atrasada linha 4 amarela do metrô estamos fazendo testes e mais testes para que o trem siga sem o maquinista, tendeu?

– Não.

Então comenta aí que eu explico.

Vortano, eu maquinista, condutor, educador e mano Fernando não trabalho sozinho e nem faço o que me dá na telha, na Central de Operações (equipe tecnica) nós decidimos os rumos da linha (Casa dos Meninos) e esse rumo serve para as duas turmas. E nesse mês de outubro o rumo a ser trilhado era o dos Projetos, uma linha ferrea cheia de obstaculos, de articulações, de mudanças de rumo, mas com fim à autonomia dos passageiros, com a idéia de que todos sejam condutores.

exploração para o museu afro brasil

Essa trilha começou em setembro, mas o caminho dela mas sinuoso estava por ser percorrido em outubro, por isso vermelho, NÃO, não somos comunistas, ou socialistas, nem procuramos a revolução no trem, é vermelho porque é vida, é sangue, é suor e é sorriso, nada de lágrimas, mas vocês entenderão…

No fim de setembro depois de terem realizado a exploração do Mapa dos 4 Ps, os jovens produziram o mapa dos possíveis, na semana do dia 20 ao dia 22 de setembro. Primeiro fizeram os mapas da exploração/pesquisa na comunidade e na quinta feira dia 22 os jovens produziram o Mapa dos possíveis, onde tiraram dos outros mapas as possibilidades de atuação na comunidade.

Na ultima semana de setembro o trem fez como sempre um caminho tortuoso, vamos lá.

No dia 27 dentro do próprio vagão teve inicio de forma clara a ideia dos projetos, a partir daqui o caminho dos trilhos foge um pouco do controle da Central de Operações, agora quem vai guiar são os passageiros, e a Central só vai orienta-los pelo caminho menos duro, ou seja, nesse dia cada jovem disse qual em qual temática queria executar um projeto e teve que justificar o porque queria fazer um projeto nessa praia. Foi difícil de se manifestarem, os que estavam mais animados já deram até sua idéia de projeto, mas outros nada falavam, então tiramos um pouquinho de sangue (metaforicamente) e fizemos com que falassem, como? fácil, só lembrar que o projeto é para eles e que eles serão lembrados na comunidade… Então todos justificaram porque fazer uma intervenção naquela praia.

No dia 28 enfim, ufa, a entrega dos certificados dos jovens que fizeram as experimentações nas escolas técnicas, e mais uma promessa de mudança da data do clube do Itau, em tempo, o maquinista não estava presente, mas todos os jovens me afirmam que lhes foi prometido a ida ao clube no dia 15 de dezembro…

Nessa viajem foram alguns jovens que faziam experimentação na ETEC, outros não puderam ir por conta do horário (tarde)

No dia 29 mais trabalho meu filho, dividir os grupos por temáticas e trabalhar nas idéias dos projetos, saíram dois grupos: meio ambiente e o outro era um monte de coisas, se iniciavam os testes do trem andar sem condução.

A temática do meio ambiente aglutinou 14 pessoas e saíram duas ideias de projetos:

inspiração para o projeto do meio ambiente (segundo os jovens)

revitalizar uma praça (talvez a única) do bairro e plantar arvores pelo bairro, depois de muita conversa interna dentro do grupo, decidiram juntar as duas idéias e fazer um grupão, porque pensam que será trabalhoso e querem fazer em um projeto de media duração (2 a 3 meses).

O outro grupo com 10 aglutinava algumas ideias: falar sobre saúde publica (drogas), mundo do trabalho, identidade e artes. Depois de muito conversar chegaram a decisão de que falariam de identidade e arte e que o produto seria um documentário pela identificação dos mesmo com a linguagem, e que queriam fazer uma coisa a mais escrita, para complementar as linguagens, pois nem todo mundo presta atenção no vídeo e nem todo mundo gosta de ler.

E assim terminou o mês de setembro

Em outubro logo no dia 04 já colocamos uma obstáculo nos trilhos do trem sem condutor: hoje precisa se definir os grupos e a ideia de projeto!, com tudo já bem encaminhado, foram ratificadas as idéias supracitadas e depois fizemos uma brincadeira para descontrair o grupo, alguns conhecem como a cidade dorme, outros como mafioso, enfim, os jovens gostam muito e estimula a argumentação e o “trabalho em grupo”, não conhece, vai no google…hahhaha

No dia 05 fomos os 23 passageiros a Casa de Cultura de Guainazes para a apresentação e conversa com jovens da comunidade que já foram contemplados pelo VAI, o encontro não rendeu muito, mas foi importante para os jovens verem outras coisas.

No dia 06 os jovens tiveram contato com as produções de outras edições do PJU, principalmente da casa dos meninos.

ta na hora de conduzir o trem do PJU

Agora o educador vai fazer um corridão aqui, porque o trem seguiu a milhão no teste da autonomia de condução. Sabe porque? Porque o processo de escrita foi frenético, os jovens sentavam, escreviam, e quando acabavam paravam o trem e iam para seus lares, sim cansativo, mas prazeroso, então vamos lá.

Dia 10 e 18 de outubro (trocamos o dia 13 pós feriado e pelo dia 10 – segunda feira) os jovens escrevem os objetivos, o publico alvo, a apresentação, a justificativa e o histórico (essas duas partes as mais difíceis e cansativas).

Sim pulamos o dia 11, porque nesse dia o trem parou no Céu lajeado, onde foram todos os 23 jovens para a atividade da Ashoka, que a principio foi difícil, mas terminou muito com uma dança celta. Sinceramente, não conseguiu atingir os objetivos de tirar alguns obstáculos do caminho de nosso trem, sendo positivo no limite, liberou um pouco do stress em uma atividade pré dia das crianças.

No dia 19 de outubro foi a vez de pensar no cronograma das atividades, escrever o plano de trabalho e listar os materiais para a pesquisa do orçamento.

No dia 20 de outubro os passageiros desceram do trem e forma fazer as pesquisas dos orçamentos na comunidade.

No dia 25 os passageiros voltaram ao trem com os orçamentos, quer dizer, mais ou menos, o grupo que voltou com os orçamentos, o da temática do meio ambiente, trouxe 5 orçamentos e colocou todos no projeto, já o grupo do vídeo documentário, não trouxe um orçamento, pois a parte do vídeo não entra (ao que sabemos é cedida pelo assessor) e os jovens não encontraram uma papelaria na comunidade que xerocasse a quantidade desejada para a produção dos fanzines, então iríamos ao centro, mas depois eu falo disso.

No dia 26, revisão de todo o projeto, com apontamentos e questionamentos feitos pelo maquinista, pronto, agora resta dividir as tarefas e revisar mais uma vez os projetos para entrega-los no dia 3 até as 10:00hrs da manhã.

No dia 27, sem projeto, vamos explorar, foram ao museu afro 16 passageiros, em uma bela

museu afro brasil

exploração que pode servir e muito ao grupo do vídeo documentário, e o parque do Ibirapuera no mínimo levanta questionamentos e ideias para a revitalização da praça. O museu, apesar de colocar um discurso que valoriza os feitos dos oprimidos, digo isso porque trata principalmente do negros, mas tem uma exposição lá sobre o sertão nordestino (linndaaaa) sob essa justificativa, ainda tem em seu acervo fixo textos produzidos que já estão defasados pela historiografia.

O acervo é fixo, a historiografia não! Fica a dica.

E seguimos na nossa viagem, os testes estão quase terminados, dentro de mais um mês acredito que se encerrem, ai o trem será conduzido pelos passageiros e os horizontes que aparecem em nossas janelas são lindos, mas frutos de muito sangue, suor e risadas…tchau outubro!

Um belo horizonte aparece na janela do trem da Casa dos Meninos

Abraços

Fernando Cruz, vendo o trem ser conduzido automaticamente…

Publicado em manhã | Deixe um comentário